quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Dieta ortomolecular

O regime ganhou notoriedade ao ser adotado por Deborah Secco, Priscila Fantin e Giovanna Antonelli. Como não poderia deixar de ser, acabou interessando a quem sonha em ter formas tão sedutoras quanto às delas. Entenda em detalhes essa proposta.
CARLA CONTE

Aparentemente, o método não difere muito de outros programas tradicionais de reeducação alimentar. Ou seja, um cardápio recheado de frutas, vegetais, cereais integrais e itens com baixo teor de gordura, como carnes magras e produtos desnatados. O restante só com muita moderação. Porém o tratamento tem outro ponto chave: a calibragem da ingestão de vitaminas e minerais. "A proposta vem de uma linha preventiva, cujo objetivo é restabelecer o equilíbrio químico do organismo", esclarece o nutrólogo Alexandre Merheb, do Rio de Janeiro (RJ).

Mas qual é a relação entre esse equilíbrio e formas enxutas? Ao se fazer o ajuste de nutrientes, o corpo passa a ter melhores condições de eliminar as toxinas e de combater os radicais livres - moléculas nocivas que danificam as células, aceleram o envelhecimento e deixam o organismo vulnerável a uma série de doenças. "Tudo isso se reflete na balança, pois a melhora do metabolismo facilita a perda de peso", afirma a nutricionista Vanderlí Marchiori, especialista em nutrição biomolecular, de São Paulo (SP). E tem mais: "Quando se atinge um ponto de equilíbrio, a fome exagerada desaparece", completa.

As mudanças de hábito alimentar incluem o abandono da comodidade dos produtos industrializados
Prato completamente natureba

Apesar de alguns pacientes saírem de uma consulta ortomolecular com indicação para tomar suplementos [veja explicação nas páginas seguintes], os experts são unânimes ao afirmar que alterações na alimentação são fundamentais e por si só capazes de transformar o corpo. Também a mudança é radical: seu ideal é privilegiar os alimentos frescos, integrais, orgânicos (cultivados sem o uso de pesticidas) e funcionais (que têm o objetivo de atuar sobre um determinado problema). "Estimula-se assim a desintoxicação e eliminação de toxinas acumuladas durante anos, além de melhorar a queima de gorduras", garante a nutróloga Tamara Mazaracki, especialista em terapia ortomolecular, do Rio de Janeiro (RJ). O método significa também pôr de lado alimentos gordurosos (como carne vermelha e frituras), doces em geral (chocolate e sorvete) e itens feitos a partir de farinhas refinadas (pão branco e salgadinhos). "A maioria das enzimas envolvidas na proteção do organismo requer nutrientes que são perdidos durante o processo industrial de refinamento", esclarece o nutrólogo José Felippe Junior, presidente da Sociedade Brasileira de Medicina Biomolecular, de São Paulo (SP).
Conservantes e ingredientes artificiais devem ficar de fora do cardápio, o que significa veto completo a refrigerantes, inclusive o light. Pode parecer muito sacrifício, mas os médicos frisam a necessidade dessas restrições explicando que esses componentes, além de não alimentar, têm o efeito colateral de roubar nutrientes do organismo durante seu processamento no sistema digestivo. Mais: levam a uma excessiva formação de radicais livres e desaceleram o metabolismo, causando aumento do peso e acúmulo de gordura.

O menu proposto a seguir pode ser uma boa introdução à dieta. Para personalizá-la, você também poderá privilegiar as opções com itens ricos nos nutrientes que seu corpo emitir como 'carentes' [veja quadro]. E bom emagrecimento!
O ponto de vista legal:

A medicina ortomolecular não é vista como modalidade ou especialidade médica. Ainda hoje é apenas uma terapia alternativa, status semelhante ao da acupuntura ou da homeopatia antes de serem reconhecidas. Neste caso específico, há muitos estudos que indicam sua eficácia. Pesquisas conduzidas em várias universidades e centros do mundo mostram que uma alimentação rica em antioxidantes (substâncias protetoras do organismo, entre elas vitaminas e minerais), principalmente vindos de frutas e vegetais, podem ajudar a prevenir uma série de doenças - embora não confirmem que os suplementos alcancem o mesmo efeito. Em 1998, o CFM (Conselho Federal de Medicina) elaborou um documento que regulamenta a terapia ortomolecular e reconhece as práticas "ortomolecular", "biomolecular" e "oxidologia" como atividades que visam atingir o equilíbrio celular e molecular do corpo humano, por meio de intervenções terapêuticas. Proíbe, porém, que sejam empregadas megadoses de vitaminas ou o uso de antioxidantes para tratar pacientes com doenças agudas ou em estado crítico (como os relacionados ao câncer e diabetes). Quanto a sua aplicação em regimes, o CFM - que é o órgão fiscalizador máximo da medicina no Brasil - não veta seu uso. Assim, desde que não se trate de um quadro de obesidade associado a doenças, como hipertensão e diabetes, a linha não encontra restrição para ser aplicada em busca do emagrecimento. A Sociedade Brasileira de Endocrinologia e a Abeso (Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade), contudo, não reconhecem as dietas à base dos princípios ortomoleculares como eficazes, pela falta de estudos científicos específicos.
O regime ganhou notoriedade ao ser adotado por Deborah Secco, Priscila Fantin e Giovanna Antonelli. Como não poderia deixar de ser, acabou interessando a quem sonha em ter formas tão sedutoras quanto às delas. Entenda em detalhes essa proposta.
NUTRITIVO E LIGHT

Apresentamos a seguir o cardápio meganutritivo montado pela nutróloga Tamara Mazaracki. O programa prevê o consumo de 1.200 calorias diárias e promove a perda de até 6 kg por mês se associado à prática de atividade física regular.

Café da manhã

OPÇÃO 1
1 suco feito com: sumo de 2 laranjas, 1/2 copo (100 ml) de suco de acerola e folhas de hortelã
2 ovos quentes
1 fatia de pão integral light aquecido com 1 col. (chá) de requeijão light
1 xíc. (chá) de chá verde

OPÇÃO 2
1 vitamina feita com: 1/2 copo (100 ml) de leite desnatado batido com 2 col. (sopa) de abacate
1 fatia de pão de aveia light com 1 fatia de queijo-de-minas
1 xíc. (chá) de chá de frutas vermelhas com 1 col. (chá) de mel

OPÇÃO 3
1 suco feito com: sumo de 3 tangerinas e 1 col. (sopa) de linhaça
6 ovos de codorna
1 fatia de pão de centeio com 1 col. (café) de manteiga ou azeite
1 xíc. (chá) de chá verde

OPÇÃO 4
1 suco feito com: sumo de 3 laranjas, 1 col. (sopa) de aveia e 1 folha de couve
2 fatias de torrada integral com 2 fatias de peito de peru
1 xíc. (chá) de chá preto com limão e 1 col. (chá) de mel

OPÇÃO 5
1 vitamina feita com: 1/2 mamão papaia, 1/2 pote (100 g) de iogurte natural desnatado e 1 col. (sopa) de linhaça
1 sanduíche feito com: 2 fatias de peito de peru e 1 fatia de queijo minas, no pão árabe integral pequeno
1 xíc. (chá) de chá verde

OPÇÃO 6
1 suco feito com: sumo de 2 laranjas, 1 cenoura pequena e 1 ramo de salsa
1 pote (200 g) de iogurte natural desnatado com 1 col. (sopa) de passas e 1/2 col. (sopa) de germe de trigo
1 xíc. (chá) de chá verde

OPÇÃO 7
1 suco feito com: 1/2 manga, 1/2 copo (100 ml) de água e 1 col. (sopa) de linhaça
1 ovo mexido com 1 fatia de queijo minas
2 torradas integrais
1 xíc. (chá) de café ou de chá preto com 1 col. (sopa) de leite

Lanche

OPÇÃO 1
1 Polenguinho light

OPÇÃO 2
1 pote (200 g) de iogurte desnatado, batido com 3 figos secos

OPÇÃO 3
1 barra de cereal light

OPÇÃO 4
2 col. (sopa) de queijo cottage
2 torradas integrais

OPÇÃO 5
1 copo (200 ml) de suco de melão

OPÇÃO 6 ? 3 ameixas secas
2 castanhas-do-pará

OPÇÃO7
1 copo (200 ml) de suco de abacaxi batido com hortelã.

Almoço

OPÇÃO 1
1 prato (sobrem.) de salada de repolho roxo e verde, 1 cenoura ralada e 4 azeitonas verdes
1 xíc. (chá) de macarrão parafuso, cozido com molho de tomate, cogumelos e orégano
4 col. (sopa) de carne moída

OPÇÃO 2
1 prato (sobrem.) de rúcula, alface e tomate-cereja
1 filé de salmão (ou cavala) grelhado
2 col. (sopa) de arroz integral
3 col. (sopa) de legumes sortidos refogados

OPÇÃO 3
1 prato (sobrem.) de salada de alface americana, rabanete, tomate-cereja e cebolinha
2 fatias de peito de peru assado
1 col. (sopa) de farofa de miúdos de galinha
3 col. (sopa) de couve-flor no vapor

OPÇÃO 4
1 prato (sobrem.) de salada de alface roxa, palmito e tomate
1 sobrecoxa de frango grelhado, temperada com gengibre e alho
1 xíc. (chá) de penne cozido com molho de tomate
3 col. (sopa) de floretes de brócolis no vapor

OPÇÃO 5
1 prato (sobrem.) de salada de rúcula, agrião, cenoura ralada e pepino
2 fatias de lagarto assado
1/2 concha de feijão temperado com salsa e cebolinha
2 col. (sopa) de arroz integral
2 col. (sopa) de couve refogada

OPÇÃO 6
1 prato (sobrem.) de salada verde, 1/4 de abacate em cubinhos e 2 rodelas de pimentão vermelho
1 posta de atum com molho de tomate, cebola e azeitona verde
3 col. (sopa) de grão-de-bico cozido
3 col. (sopa) de agrião refogado

OPÇÃO 7
1 prato (sobrem.) de salada de folhas verdes, cenoura ralada e tomate-cereja 1 filé de frango grelhado
2 col. (sopa) de batatinhas assadas
3 col. (sopa) de quiabo refogado

Lanche

OPÇÃO 1
1 copo (200 ml) de suco de melancia, batido com 1 talo de aipo

OPÇÃO 2
1 banana amassada com 3 damascos secos em pedacinhos e 1 col. (sopa) de aveia integral

OPÇÃO 3
1 espiga de milho verde

OPÇÃO 4
1 suco feito com: 1/2 mamão papaia, 1 col. (sopa) de semente de linhaça e 1/2 copo (100 ml) de água

OPÇÃO 5
1 pote (200 g) de iogurte natural desnatado, batido com 1 col. (sopa) de sementes de girassol e 1 figo seco picado

OPÇÃO 6
1 copo (200 ml) de suco de acerola batido com 2 damascos secos

OPÇÃO 7
1 pote (200 g) de iogurte natural desnatado batido com 6 morangos

Jantar
OPÇÃO 1
2 conchas de sopa de legumes variados (como inhame, cenoura, cebola, brócolis, tomate, alho-poró)
1 prato (sobrem.) de salada de tomate, milho verde, palmito, pimentão e 3 azeitonas pretas
2 sardinhas assadas
OPÇÃO 2
1 pão-pizza feito com: 2 fatias de pão de aveia light com 2 fatias de queijo-minas, 4 rodelas finas de tomate, orégano e um fio de azeite
1 prato (sobrem.) de salada de agrião, ervilha e palmito
OPÇÃO 3
? 4 col. (sopa) de carne moída
3 col. (sopa) de lentilha
3 col. (sopa) de abobrinha refogada
OPÇÃO 4
2 conchas de canja de galinha, feita com: miúdos, cenoura, cheiro-verde e arroz integral
2 pedaços de frango
1/2 batata-doce pequena
6 tomates-cereja com salsa e cebolinha picadas
OPÇÃO 5
1 pires de alface e 1/2 pepino fatiado ?
1 filé de pescada temperado com ervas e cheiro-verde
2 col. (sopa) de arroz integral ou 7 cereais
OPÇÃO 6
broto de alfafa (ou folhas de alface) à vontade e 3 rodelas de tomate
1 sanduíche feito com: 1 1/2 fatia de pão integral, 3 col. (sopa) de atum light, amassado e misturado a 1 col. (sopa) de maionese light e cheiro-verde picado
OPÇÃO 7
1 prato (sobrem.) de folhas de alface americana e rodelas de tomate, rabanete e cebola
1 hambúrguer de frango na chapa
2 fatias de pão integral light, aquecidas cada uma com 1 col. (café) de manteiga

Ceia
OPÇÃO 1
1 laranja com bagaço
OPÇÃO 2
1 copo (200 ml) de leite desnatado batido com 1/2 maçã
OPÇÃO 3
1/2 mamão papaia
OPÇÃO 4
1 pêra cozida com noz-moscada e cravo-da-índia
OPÇÃO 5
2 kiwis
OPÇÃO 6
1/2 manga
OPÇÃO 7
1 fatia de abacaxi em cubos com folhas de hortelã

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget

QUINOA


PROPRIEDADES NUTRICIONAIS

A quinoa foi escolhida pela Nasa por ser uma ótima fonte de proteínas de

alto valor biológico e fornecer todos os aminoácidos essenciais necessários para a

formação de enzimas e de massa muscular e para todo o funcionamento orgânico.

Os aminoácidos essenciais não são produzidos pelo organismo humano e, por

isso, é preciso buscá-los na comida. As principais fontes são os alimentos de

origem animal. 'Como tem uma quantidade muito grande de proteínas e todos os

aminoácidos essenciais, além de ser rica em ferro e zinco, a quinoa é de especial

interesse para o vegetariano. Aquinoa ainda fornece magnésio, potássio,

manganês, vitaminas B1, B2, B3, D e E. Para completar, é um alimento rico em

fibras também bastante calórico 100 gramas correspondem a 450 calorias.

O amaranto possui grande potencial nutritivo. A semente possui cerca de

15% de proteínas, que tem uma qualidade biológica comparável à do leite e

superior a de outros vegetais, como a soja e o feijão. O amaranto também é rico

em fibras e pode ser utilizado como fonte de zinco, fósforo e cálcio, elemento

pouco encontrado em vegetais. Experiências realizadas com coelhos de

laboratório na FSP, que tiveram seu colesterol aumentado por uma dieta,

demonstraram a capacidade do amaranto em reduzir os níveis plasmáticos de

colesterol. O amaranto é um arbusto que pode atingir até 2 metros de altura, com

folhas grandes e panículas (tufos semelhantes às espigas) que concentram as

sementes. "As folhas podem ser cozidas como a couve". Para a produção de

farinha, é necessário extrair das sementes o óleo, que tem altos níveis de ácidos

graxos insaturados e também poderia ser usado na alimentação.

INDICAÇÕES:

Não há restrições para o consumo daquinoa e amaranto, mas o público-

alvo são os portadores de doença celíaca (intolerância a alimentos à base de trigo,

centeio, cevada e aveia), já que ela é totalmente isenta de glúten e ainda possui

outras características como proteína de qualidade, em quantidade superior à dos

cereais; amido com grânulos pequenos, que facilitam a produção de alimentos

congelados; fração de gorduras que auxiliam na redução do colesterol; vitaminas

(em especial a E) e minerais, como o cálcio, o magnésio, o manganês e o ferro em

quantidades que superam com vantagem os cereais. Assim, eles estarão

incorporando opções para diversificar os alimentos e aumentando as chances de

levar uma vida normal. Certamente, os que sofrem dessa enfermidade genética

passarão, ao longo do tempo, a perceber os demais benefícios de seu uso. Os

atletas devem ingeri-la antes e depois das provas, pois a quinoacontém ômega 3

e ômega 6, auxiliares no armazenamento de glicogênio nos músculos; as

crianças, como alternativa ao leite de vaca; e os idosos, porque se trata de um

alimento rico em lisina, aminoácido que ajuda a fortalecer a imunidade e amelhorar a memória.

 
Related Posts with Thumbnails