segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Óleo de Orégano

Pesquisas atuais têm apontado o óleo de orégano como um eficaz remédio no tratamento do câncer. Suas propriedades ainda vão além, onde também é considerado um dos mais eficazes óleos de ação antimicrobial e antifúngica. Existem dezenas de espécies, muitas das quais nem são "oréganos verdadeiros" e isso pode interferir em muito no uso terapêutico desta planta e em suas indicações.
O orégano (Origanum vulgare), também conhecido por orégano selvagem, é uma planta condimentar largamente utilizada na culinária. Seu óleo essencial, de coloração marrom-avermelhada, apresenta como componente majoritário o carvacrol (65% no mínimo) – um poderoso agente antioxidante e antiinflamatório. No entanto, alguns óleos dessa espécie, como aqueles provenientes da Espanha, possuem pouco carvacrol e muito timol. Tal característica faz com que tais óleos se assemelhem muito (em cheiro e indicações) ao óleo essencial de tomilho.

O orégano é uma erva nativa na Europa, África e sudoeste da Ásia. Por ser típica da Turquia, onde é chamada de "kekik", fomos encontrar neste país os principais produtores de seu óleo essencial. Um de nossos contatos, o Sr. Buch Owen, nos forneceu importantes dados sobre pesquisas que têm sido efetuadas na Turquia por cinco proeminentes professores usando o Orégano onito (Origanum onites) no tratamento de tumores malignos nos pulmões de ratos. O óleo essencial de orégano não só parou o crescimento dos tumores assim como os fez regredirem em seu tamanho, voltando o tecido pulmonar ao seu estado normal, claro e rosa. Apesar da pesquisa ter sido feita com ratos, existem grandes evidências para a eficácia do uso do óleo de orégano no tratamento de câncer em humanos. A primeira está justamente em sua composição química. São mais de 40 princípios ativos diferentes, sendo que o principal, presente em torno de 65-80%, seria o carvacrol. Este composto possui propriedades antibacterianas, antiinflamatórias, antimelanomicas, antioxidantes, anti radicais livres, antifúngicas e anticancerígenas, todas comprovadas cientificamente. Além do carvacrol existiriam mais de 10 compostos (a-humulene, b-elemene, ácido ursolico, timol, mirceno, limoneno, a-pineno, b-cariofileno, p-cimeno, ácido rosmarínico, ...) presentes no óleo essencial e considerados todos de propriedades antitumorais, anticarcinogenicas e preventivos do câncer, dados estes obtidos do USDA's Agriculture Research Service.
Em experiências práticas o orégano têm-se mostrado extremamente eficaz no tratamento de infecções de todos os tipos e processos inflamatórios que incluiríam furúnculus, feridas inflamadas, pneumonia, acne, sinusite, amigdalite, artrite, tuberculose, etc, problemas estes, muitas vezes anteriormente tratados com antibióticos alópaticos e não resolvidos. Hoje, o grande problema destes antibióticos está no fato das bactérias estarem criando resistência a eles. Remédios que a dez anos atrás faziam efeito hoje já não servem para tratar as mesmas doenças. Inclusive até mesmo o AZT já não está dando mais o mesmo resultado para o tratamento da AIDS. Mas com óleos essenciais retirados da planta acontece um processo interesssante e que vêm sendo estudado: as bactérias e microorganismos em geral não criam resitência ao longo do tempo. A explicação para isso estaria talvez no fato do óleo essencial ser proveniente de uma complexa engenharia biológica presente na planta que produz um produto totalmente exclusivo seu, feito especificamente para resistir ao meio ambiente. Outra explicação estaria no fato de óleos essenciais naturais possuírem uma frequência energética muito alta, o que por observações in vitro comprovou-se ter uma ação inibitória do crescimento de bactérias.
Outras pesquisas sobre o uso do óleo essencial dos oréganos já vieram a comprovar que suas propriedades vão ainda mais longe:
Em 14 pacientes que receberam administração oral de 600mg de óleo de orégano por dia após 6 semanas tiveram um completo desaparecimento de parasitas intestinais como Entamoeba hartmanni, Endolimax nana e Blastocystis hominis. Também constatou-se, à uma diluição de 2%, completa eliminação em culturas de Candida albicans (Cândida), Enterococcus fecalis, Pseudomonas aeruginosa, Staphylococcus aureus, entre muitos outros.
Em uma observação do centro Aeron de Biotecnologia na Califórnia, constatou-se o potencial de diversas ervas utilizadas como tempero na alimentação terem uma atividade hormonal, auxiliando inclusive no equilíbrio de distúrbios menstruais e tendo uma ação reguladora do crescimento de células cancerosas no útero. Entre estas cita-se o orégano e mais uma dezena de outras como o tomilho, soja, damiana, verbena, lúpus, etc. Esta observação soma-se a outra feita sobre os efeitos antioxidantes de ervas empregadas como temperos no Mediterrâneo e que tem ocasionado uma baixa de casos de mortalidade por doenças cardíacas em pessoas que consomem a dieta típica da região. Em países orientais onde se utilizam muitas ervas como tempero, o índice de distúrbios homonais e cardíacos é bem inferior àquele observado nas pessoas habituadas à típica dieta ocidental.
A Faculdade de Medicina e Farmácia do Marrocos demonstrou uma ação moluscida dos óleos de orégano (Origanum compactum) e Erva-de-Santa-Maria (Chenopodium ambrosioides) a 2.00-2.23 mg/litro respectivamente, o que acusa a possibilidade do uso dos óleos essenciais destas plantas no combate a lesmas dos jardins.
Também a Faculdade de Farmácia da Turquia demonstrou uma atividade do óleo de orégano (Origanum onites) como efetivo na prevenção do diabetes melitus, e como retardador do desenvolvimento de uma série de complicações advindas com a doença. Também estudou-se a possibilidade de efeitos do óleo sobre os níveis de glicose do sangue, mas nenhuma alteração neste sentido foi constatada.
Por fim, não poderíamos deixar de mencionar a necessidade de haver uma distinção das espécies de oréganos. Existem dezenas de plantas com esse nome, algumas nem pertencentes à família das labiatas (às quais os oréganos, manjeronas, tomilhos e manjericões fazem parte), como é o caso do orégano mexicano (Lippia graveolens).
Outro importante fator a ser falado aqui é sobre a importância em saber-se se o óleo de orégano que você tem em mãos possui princípio ativo para aquilo que é indicado. Existem drásticas diferenças entre os tipos de óleo de oréganos e a mesma planta poderá produzir óleos essenciais com teores bem diferenciados de compostos como o Origanum vulgare ssp. vulgare que possui óleo essencial com 0.7% até 80% de carvacrol. Em substituição ao carvacrol poderão surgir outros compostos como timol, linalol, etc.
Dentre as espécies existentes temos:
Orégano comum (Origanum vulgare ssp. vulgare)

Também conhecido como orégano selvagem é o mais comum de todos comumente empregado em pizzas. Para aquilo que o orégano é normalmente indicado, este deve possuir uma porcentagem de no mínimo 65% de carvacrol, para que sua ação antimicrobial, anti-inflamatória e anticarcinogência esteja presente. Alguns óleos desta espécie, como o proveniente da Espanha e com baixo teor de carvacrol (0.5-0.7%), possuem timol substituindo este componente, fazendo com que o óleo de orégano se assemelhe em muito, não só em cheiro mas também em indicações, ao óleo de tomilho. A planta seca possui em torno de 5% de óleo essencial.
Orégano selvagem e orégano lavanda (Origanum dubium var.carvacrol , var. linalol )

O óleo essencial deste tipo de orégano, apresenta-se com duas variedades químicas naturais, o quimiotipo carvacrol, muito semelhante ao orégano comum inclusive em teores de pricípios ativos, e o quimiotipo linalol, o que faz que este último seja conhecido na Turquia como "lavanta kekik" (orégano lavanda). Os turcos normalmente preferem este óleo como remédio caseiro, por possuir um aroma mais agradável do que o do óregano comum e possuir duplo efeito terapêutico. Ele possui alto teor de carvacrol, assim como de linalol (um componente típico da lavanda que lhe traz propriedades calmantes, citofiláticas e sedativas). É endémico da Turquia somente existindo numa pequena região do sudeste e em nenhuma outra parte do mundo. É excelente para inalações, em problemas de pele, infecções e inflamações em geral, como antiséptico e estimulante do sistema imunológico. O orégano selvagem possui aroma picante, ao mesmo tempo que herbáceo, já o orégano lavanda, um aroma que lembra o óleo de pau-rosa.
Orégano de vaso (Origanum onites = Majorana onites)

Conhecido também como manjerona de vaso ("pot marjoram") ou manjerona francesa, possui flores de coloração branca ou roxa.Este tipo de orégano tem sido utilizado em pesquisas no tratamento de câncer, mas por similitude química, os outros oréganos com um alto teor em carvacrol possuirão propriedades bem semelhantes. Seu aroma é tipicamente picante.
Orégano da Turquia (Origanum vulgare ssp. hirtum)

Este seria o melhor tipo de orégano para pizzas. Somente florece no verão na Turquia e suas flores são de cor branca. Seu aroma é forte, quente e penetrante. Suas folhas secas possuem cerca de 3% de óleo essencial, dependendo das condições de cultivo e ambientais. Possui alto teor em carvacrol (80%). Dificilmente é encontrado no comércio seu óleo essencial, dado inclusive à sua limitação geográfica (somente existe na Turquia).
Manjerona (Origanum majorana = Majorana hortensis)

A manjerona foge justamente do forte aroma dos oréganos, apesar de pertencer à mesma família, é de cheiro mais suave, calmante e relaxante. Possui insignificantes flores brancas ou rosas que se abrem em meio ao verão. Esta espécie é encontrada em várias partes do mundo e, países como a Turquia, Índia, França, Inglaterra e Egito, são responsáveis pela produção de seu óleo essencial. Possui ação antiinflamatória, sedativa e calmante dos nervos. É normalmente indicado no tratamento de distúrbios menstruais (TPM, cólicas), digestivos (fígado) e respiratórios (tosse). Seu aroma traz uma sensação de conforto e harmonia, por isso é considerado um óleo de qualidades anti-stress.
Outras espécies da família dos oréganos seriam:

Origanum vulgare ssp. viride, O. vulgare ssp. compactum, O. dictamnus, O. laevigatum, O. vulg. ssp. variegatum, O. vulg. ssp. aureum, etc. Também existem parentes próximos e plantas com o mesmo nome: Thymus capitatus (Orégano espanhol), Timbra (Thymbra spicata), etc.


Dicas e avisos:
Óleo de orégano pode reduzir a capacidade do organismo de absorver ferro. você deve tomar um suplemento de ferro, enquanto a tomar as cápsulas de orégano, e as mulheres grávidas não devem usar o óleo de orégano.
Se você é alérgico a hortelã, o tomilho, manjericão, sálvia ou você pode ser alérgico ao óleo de orégano também. se você tiver irritações de pele ou vómitos, interromper o uso das cápsulas.
Tomar uma cápsula por dia como uma medida preventiva para afastar potenciais infecções e fortalecer o sistema imunológico.

Ter dois ou mais cápsulas durante o dia quando você sente um frio, gripe, ou reação alérgica vinda.

Ter dois ou mais cápsulas quando você tem uma dor de estômago ou para ajudar na digestão.

5 comentários:

Monica disse...

Quanta informação bacana!
Conheci seus blogues hoje e adorei. Já estou seguindo os dois. Parabéns pelo trabalho!

Tati disse...

Obrigada Monica!
Volte sempre que puder!
Bjs!

Maria José disse...

Tem selinho ENGENHOLITERARTE para você no Arca. Está em Mimos 2011. Espero que goste. Beijos.

Maria José disse...

Olá amiga. Estive ausente durante a Semana Santa. Agora de volta, após a Páscoa, desejo-lhe renovação constante com muitas bênçãos em sua vida. Beijos.

ArcadoAutoConhecimento disse...

Olá amiga. O ArcadoAutoConhecimento foi indicado para concorrer ao SELO BLOG DA SEMANA, em votação que se iniciou no dia 05/05 e ficará aberta até o dia 11/05/2011 no BLOG DO SUPER WILL. Se você quiser me presentear com seu voto, deve acessar o blog do Super Will, no endereço http://wwwwillblog.blogspot.com/. O Will é o idealizador do selo, tendo por objetivo homenagear e promover a confraternização blogueira através da troca de links, divulgação e experiências. Desde já, agradeço a gentileza e amizade.

Compartilhe

QUINOA


PROPRIEDADES NUTRICIONAIS

A quinoa foi escolhida pela Nasa por ser uma ótima fonte de proteínas de

alto valor biológico e fornecer todos os aminoácidos essenciais necessários para a

formação de enzimas e de massa muscular e para todo o funcionamento orgânico.

Os aminoácidos essenciais não são produzidos pelo organismo humano e, por

isso, é preciso buscá-los na comida. As principais fontes são os alimentos de

origem animal. 'Como tem uma quantidade muito grande de proteínas e todos os

aminoácidos essenciais, além de ser rica em ferro e zinco, a quinoa é de especial

interesse para o vegetariano. Aquinoa ainda fornece magnésio, potássio,

manganês, vitaminas B1, B2, B3, D e E. Para completar, é um alimento rico em

fibras também bastante calórico 100 gramas correspondem a 450 calorias.

O amaranto possui grande potencial nutritivo. A semente possui cerca de

15% de proteínas, que tem uma qualidade biológica comparável à do leite e

superior a de outros vegetais, como a soja e o feijão. O amaranto também é rico

em fibras e pode ser utilizado como fonte de zinco, fósforo e cálcio, elemento

pouco encontrado em vegetais. Experiências realizadas com coelhos de

laboratório na FSP, que tiveram seu colesterol aumentado por uma dieta,

demonstraram a capacidade do amaranto em reduzir os níveis plasmáticos de

colesterol. O amaranto é um arbusto que pode atingir até 2 metros de altura, com

folhas grandes e panículas (tufos semelhantes às espigas) que concentram as

sementes. "As folhas podem ser cozidas como a couve". Para a produção de

farinha, é necessário extrair das sementes o óleo, que tem altos níveis de ácidos

graxos insaturados e também poderia ser usado na alimentação.

INDICAÇÕES:

Não há restrições para o consumo daquinoa e amaranto, mas o público-

alvo são os portadores de doença celíaca (intolerância a alimentos à base de trigo,

centeio, cevada e aveia), já que ela é totalmente isenta de glúten e ainda possui

outras características como proteína de qualidade, em quantidade superior à dos

cereais; amido com grânulos pequenos, que facilitam a produção de alimentos

congelados; fração de gorduras que auxiliam na redução do colesterol; vitaminas

(em especial a E) e minerais, como o cálcio, o magnésio, o manganês e o ferro em

quantidades que superam com vantagem os cereais. Assim, eles estarão

incorporando opções para diversificar os alimentos e aumentando as chances de

levar uma vida normal. Certamente, os que sofrem dessa enfermidade genética

passarão, ao longo do tempo, a perceber os demais benefícios de seu uso. Os

atletas devem ingeri-la antes e depois das provas, pois a quinoacontém ômega 3

e ômega 6, auxiliares no armazenamento de glicogênio nos músculos; as

crianças, como alternativa ao leite de vaca; e os idosos, porque se trata de um

alimento rico em lisina, aminoácido que ajuda a fortalecer a imunidade e amelhorar a memória.

 
Related Posts with Thumbnails