segunda-feira, 19 de abril de 2010

Melissa officinalis

Em Inglês (Lemon balm)
Conhecida popularmente como melissa, erva-cidreira verdadeira, melissa romana ou chá da França, a Melissa officinalis é comumente confundida com outra erva, também medicinal. Diz a lenda que a melissa recebeu este nome em homenagem à ninfa grega Melona (em grego "Mellona"), protetora das abelhas. E a relação da planta com as abelhas é realmente muito interessante: na primavera, quando nascem várias rainhas numa mesma colméia, o enxame se divide em vários menores e cada um sai em busca de uma nova colméia. Como a melissa tem o poder de atrair as abelhas, povos antigos colocavam suas folhas frescas trituradas em colméias vazias para atrair os enxames que estavam migrando.
Nomes populares: chá-da-frança, chá-de-tabuleiro, cidrilha, citronela, citronela-menor, erva-cidreira-européia, erva-luísa, cidreira-verdadeira, limonete, melitéia, melissa, melissa-romana, melissa-verdadeira, salva-do-brasil, zitronen melisse (alemão), melisa (espanhol), mélisse (francês), lemon balm (inglês), melissa selvatica (italiano), melissae citratae (latim), bee balm, sweet balm.
 No Brasil, existem inúmeras plantas conhecidas pelo nome comum de "erva-cidreira", mas é com uma outra erva medicinal - o capim-limão ou "lemon-grass" (Cymbopogon citratus) - que a confusão é maior. Existem até folhas secas de capim-limão embaladas e comercializadas com o nome de erva-cidreira, para o preparo de chás calmantes. Na verdade, os pesquisadores têm estudado as propriedades medicinais do capim-limão para amenizar problemas digestivos. Calmante mesmo é a melissa.Para acabar de vez com a confusão, é só observar as duas plantas, pois elas são bem diferentes: enquanto o capim-limão apresenta folhas estreitas, longas e lanceoladas, a melissa produz folhas grandes, ovais, pecioladas, serrilhadas e com nervuras salientes.
Constituintes químicos: ácidos caféico, ácidos rosmarínico, ácido clorogênico, ácidos triterpênicos: ursólico e oleânico; óleo essencial (citral, citronelal, citronelol, pineno, limoneno, linalol e geraniol), glicosídeos flavônicos, resinas, sesquiterpenos (cariofileno e outros), succínico, tanino.
Propriedades medicinais: adstringente, analgésica, antialérgica, antidispéptica, antiespasmódica, antiinflamatória, antimicrobiana, antinevrálgica, anti-séptica, antiviral em diarréias (extrato cru), aromática, calmante, carminativa, cicatrizante, colagoga, colerética, cordial, digestiva, diurética, emenagoga, estimulante, estimulante cutâneo, estomáquica, eupéptica, hipotensora, relaxante, revigorante da pele, sedativa, sudorífera, tônica, tônico amargo.
Na aromaterapia, ela alivia as tensões e, juntamente com rosa e o neróli, é um dos óleos atuantes nas vibrações ligadas ao coração. Acredita-se que a melissa apresenta inúmeras propriedades medicinais: é usada para diminuir gases e cólicas, estimula a transpiração, é calmante, sedativa, digestiva, age contra a insônia, enxaqueca, tensão nervosa, ansiedade e ajuda nos casos de traumatismo emocional.
Outras Indicações: afecções gástricas, ansiedade, arrotos, artralgia, cãibras intestinais, catarros crônicos, caxumba, cefalalgias, celulite, circulação, cólica, crise nervosa, debilidade geral, depressão, desmaio, diarréia de sangue, dor de cabeça, dores nos olhos, dores espasmódicas das vias digestivas, enjôo, entupimento das mamas, enxaquecas, epilepsia, erupções, espasmo, fadiga, fastio, feridas, fígado, flatulência, gases, gastralgia, hipocondria, hipertensão, histerismo, icterícia, inflamações dos olhos, insônia, irregularidades menstruais, má circulação sangüínea, melancolia, nervosismo, nevralgia (facial, dentária), odontalgias, palpitação, paralisia, pele (limpar e cicatrizar acne, revigorante, oleosidade), perfumaria, pericardite, picada de inseto, problemas digestivos, problemas nervosos, problemas hepáticos e biliares, resfriado, taquicardia, tenesmo, tosse, vertigem, vesícula.
Parte utilizada: parte aérea, óleo essencial.
Contra-indicações/cuidados: pessoas com hipersensibilidade à planta.
Efeitos colaterais: diminuição da pulsação e entorpecimento.
Modo de usar:
- infusão de 25 a 50 g de folhas verdes em um litro de água. Tomar 3 a 4 xícaras ao dia;
- infusão de 1 xícara das de cafezinho de folhas verdes picadas para ½ litro de água. Tomar 1 xícara das de chá 4 vezes ao dia;
- infusão de 2 a 4 g de folhas secas três vezes ao dia;
- infusão de 3 colheres (chá) de folhas secas em 1 xícara de água (sedante);
- folhas frescas: aplicar sobre os olhos, para inflamações;
- lavagens intestinais com o infusão (tenesmo e diarréia de sangue);
- bochechos: dores de dente;
- suco: mistura-se um pouco de sal às folhas contusas (caxumba);
- cataplasma:
. das folhas frescas contusas, aplica-se sobre o ventre, para dores de estômago, fígado e intestino; para picadas de insetos e entupimento das mamas;
. decocção das folhas a 3% - ação calmante em dores;
- extrato fluido em álcool 45%: 2 a 4 ml três vezes ao dia;
- tintura 1:5 em álcool 45% 2 a 6 ml três vezes ao dia;
- tintura mãe: 40 a 50 gotas, três vezes ao dia;
- alcoolato: 2 a 5 g ao dia;
- extrato alcoólico: 1,5 a 2,0 g ao dia;
- macerado: 3 a 5 g de erva em 100 ml de vinho branco por 5 dias. Tomar um cálice pequeno 2 ou 3 vezes ao dia: baixar febre de gripe;
- licor caseiro: 2 mãos cheias de folha de melissa amassadas, 1 litro de vodka, 3/4 xícara de mel, casca ralada de um limão. Agite bem e deixe descansar uma semana. Coe, engarrafe e espere três semanas antes de usar;
- aromatizante em saladas de hortaliças e frutas, omelete, molhos, carnes, etc.
E para quem acredita nos poderes calmantes desta planta, não custa nada experimentar um relaxante banho com folhas de melissa: faça uma infusão com folhas e flores de melissa em um litro de água e despeje numa banheira ou deixe a infusão amornar e use-a no final do banho de chuveiro. Além de calmante, você terá um delicioso banho perfumado!

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget

QUINOA


PROPRIEDADES NUTRICIONAIS

A quinoa foi escolhida pela Nasa por ser uma ótima fonte de proteínas de

alto valor biológico e fornecer todos os aminoácidos essenciais necessários para a

formação de enzimas e de massa muscular e para todo o funcionamento orgânico.

Os aminoácidos essenciais não são produzidos pelo organismo humano e, por

isso, é preciso buscá-los na comida. As principais fontes são os alimentos de

origem animal. 'Como tem uma quantidade muito grande de proteínas e todos os

aminoácidos essenciais, além de ser rica em ferro e zinco, a quinoa é de especial

interesse para o vegetariano. Aquinoa ainda fornece magnésio, potássio,

manganês, vitaminas B1, B2, B3, D e E. Para completar, é um alimento rico em

fibras também bastante calórico 100 gramas correspondem a 450 calorias.

O amaranto possui grande potencial nutritivo. A semente possui cerca de

15% de proteínas, que tem uma qualidade biológica comparável à do leite e

superior a de outros vegetais, como a soja e o feijão. O amaranto também é rico

em fibras e pode ser utilizado como fonte de zinco, fósforo e cálcio, elemento

pouco encontrado em vegetais. Experiências realizadas com coelhos de

laboratório na FSP, que tiveram seu colesterol aumentado por uma dieta,

demonstraram a capacidade do amaranto em reduzir os níveis plasmáticos de

colesterol. O amaranto é um arbusto que pode atingir até 2 metros de altura, com

folhas grandes e panículas (tufos semelhantes às espigas) que concentram as

sementes. "As folhas podem ser cozidas como a couve". Para a produção de

farinha, é necessário extrair das sementes o óleo, que tem altos níveis de ácidos

graxos insaturados e também poderia ser usado na alimentação.

INDICAÇÕES:

Não há restrições para o consumo daquinoa e amaranto, mas o público-

alvo são os portadores de doença celíaca (intolerância a alimentos à base de trigo,

centeio, cevada e aveia), já que ela é totalmente isenta de glúten e ainda possui

outras características como proteína de qualidade, em quantidade superior à dos

cereais; amido com grânulos pequenos, que facilitam a produção de alimentos

congelados; fração de gorduras que auxiliam na redução do colesterol; vitaminas

(em especial a E) e minerais, como o cálcio, o magnésio, o manganês e o ferro em

quantidades que superam com vantagem os cereais. Assim, eles estarão

incorporando opções para diversificar os alimentos e aumentando as chances de

levar uma vida normal. Certamente, os que sofrem dessa enfermidade genética

passarão, ao longo do tempo, a perceber os demais benefícios de seu uso. Os

atletas devem ingeri-la antes e depois das provas, pois a quinoacontém ômega 3

e ômega 6, auxiliares no armazenamento de glicogênio nos músculos; as

crianças, como alternativa ao leite de vaca; e os idosos, porque se trata de um

alimento rico em lisina, aminoácido que ajuda a fortalecer a imunidade e amelhorar a memória.

 
Related Posts with Thumbnails