terça-feira, 21 de setembro de 2010

Cuidado com a sua Dieta

Carboidratos (glicídios)

Os carboidratos fornecem a maior parte da energia
necessária para manutenção das atividades das pessoas.
A ingestão diária recomendada de carboidratos
é de 50% a 60% do valor calórico total. Eles são encontrados
nos amidos e açúcares e, com exceção da
lactose do leite e do glicogênio do tecido animal, são
de origem vegetal.
O açúcar pode ser adicionado ou estar presente
naturalmente nos alimentos. Diferentemente dos demais
macronutrientes (proteínas e lipídios), os carboidratos
(glicídios) transformam-se em glicose mais
rapidamente.
Os carboidratos são classificados em simples e
complexos.Glicose, frutose, sacarose e lactose são os
carboidratos simples mais encontrados nos alimentos,
estando o amido entre os complexos.
Os carboidratos simples são formados por açúcares
simples ou por um par deles; sua estrutura química
faz com que possam ser facilmente digeridos e mais
rapidamente absorvidos. Como exemplo temos açúcar
de mesa, mel, açúcar do leite e das frutas, garapa,
rapadura, balas, muitos chicletes, doces em geral, refrigerantes,
entre outros.
Já os carboidratos complexos são formados por
cadeias mais complexas de açúcares, podendo sua
digestão e absorção ser mais prolongada.
Alguns alimentos que contêm carboidratos complexos:
• cereais e derivados, como arroz, trigo, centeio,
cevada, milho, aveia, farinhas (de trigo , de
mandioca, de milho), massas, pães, biscoitos,
tapioca, cuscuz, macarrão, polenta, pipoca;
• tubérculos: batata-doce, batata, inhame, cará,
mandioca, mandioquinha;
• leguminosas: feijões, ervilha, lentilha, grão-debico e soja.
No entanto, o tamanho da cadeia ou estrutura
química não é o único determinante da velocidade
de digestão e absorção sob a forma de glicose.
Ou-tros fatores relativos a composição dos alimentos e
preparação, entre outros também têm influência importante.
Muitos alimentos contêm carboidratos e gordura,
incluindo-se aí os doces, como bolos, tortas, sorvetes
e biscoitos. Algumas combinações de alimentos compreendem
os três nutrientes - carboidrato, proteína
e gordura -, como pizzas, ensopados e sopas. Esta
característica é importante na consideração do valor
calórico da preparação e também no impacto que o
alimento pode ter na glicemia.
Fibras alimentares e seu papel na nutrição humana
Embora as fibras sejam também classificadas como
carboidratos, pertencem ao grupo dos oligossacarídeos,
sendo eliminadas nas fezes pelo organismo. Justamente
por essa razão são importantes para a manutenção
das funções gastrointestinais e a conseqüente
prevenção de doenças relacionadas.
Devem constar do planejamento das refeições,
sendo facilmente encontradas em alimentos de origem
vegetal, como hortaliças, frutas e cereais integrais.
As fibras são classificadas em solúveis e insolúveis,
tendo as primeiras importante função no controle
glicêmico (especialmente as pectinas e as beta
glucanas), e as insolúveis, na fisiologia intestinal. A
recomendação da ingestão de fibras é de 20-35g ao
dia, valores iguais ao da população em geral. É importante
lembrar que os estudos demonstram que
o consumo rotineiro de fibras da população brasileira
não atinge esta meta, estando as pessoas com
diabetes incluídas neste perfil. Portanto, o incentivo
ao consumo diário de fontes alimentares de fibras é
prioritário para todos.
Autor: Anelena Soccal Seyffarth
Colaboração: Josefina Bressan
Objetivo:
Revisar os conceitos básicos sobre a composição dos alimentos, suas funções e influência no controle glicêmico e na saúde.
Micronutrientes (vitaminas e minerais)
As vitaminas e os minerais estão presentes em grande
variedade de alimentos. Cada um desses nutrientes
é importante, pois exerce funções específicas, essenciais
para a saúde das nossas células e para o funcionamento
harmonioso entre elas. Diferentemente
dos macronutrientes, as vitaminas e os minerais são
necessários em pequenas quantidades. No entanto,
para atingir as recomendações de consumo desses
nutrientes, o seu fornecimento através dos alimentos
deve ser diário e a partir de diferentes fontes. A
seguir apresentamos o resumo das funções dos micronutrientes
e os alimentos que os contêm.
Vitaminas



• Vitaminas hidrossolúveis: complexo B, ácido




fólico e vitamina C.
• Vitaminas lipossolúveis: A,D,E,K.
Funções: Não contém energia mas são necessárias
para as reações energéticas; regulam as funções celulares;
envolvidas nas funções de proteção (imunológicas).
 Minerais
• Cálcio, ferro, sódio, potássio, magnésio, zinco
e selênio, entre outros.
Funções: necessários para crescimento, reprodução
e manutenção do equilíbrio entre as células; fazem
parte de tecidos; envolvidos na contração muscular
e na transmissão dos impulsos nervosos.

Vitamina s e minerais – Fontes alimentares:

• frutas, hortaliças e legumes;


• leite e derivados, carnes, castanhas e nozes;


• cereais integrais (ex.: milho, aveia, alimentos

com farinha integral).
As vitaminas e os minerais mantêm relações de
equilíbrio no desenvolvimento das suas funções. São
necessárias determinadas proporções de dois ou mais
deles para que algumas das reações esperadas aconteçam
dentro do nosso corpo. O uso de doses maiores
do que as indicadas pode alterar tais proporções,
prejudicando o resultado final. Como exemplos de
relações benéficas, desde que em proporções adequadas,
podemos citar sódio e potássio; cálcio e fósforo;
ferro e vitamina C; cálcio e vitamina D.

Vitaminas e minerais e Diabetes


As recomendações de consumo para idosos, adultos,


gestantes e lactantes, adolescentes e crianças com

DM1 ou DM2 são similares às para a população em
geral. A Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD), no
seu consenso, recomenda o uso diário de duas a quatro
porções de frutas (de modo geral, uma porção é
igual a uma unidade ou fatia média) e de três a cinco
de hortaliças (cruas e cozidas). O mesmo documento
valoriza a utilização de pelo menos uma fruta rica
em vitamina C por dia (laranja, limão, acerola, goiaba,

etc.).
No entanto, alguns aspectos relativos às ações dos
micronutrientes devem ser observados por pessoas
com diabetes:
• as vitaminas C e E, o betacaroteno (precursor
da vitamina A) e o mineral selênio são antioxidantes,
ou seja, são importantes, por exemplo,
na proteção contra doenças do aparelho cardiovascular.
Porém não há evidência suficiente
para que as pessoas com diabetes os utilizem
além da quantidade fornecida por uma dieta
equilibrada. A suplementação medicamentosa
(comprimidos) só deve ser feita sob orientação
médica, em circunstâncias claras de deficiência
ou necessidades especiais (idosos, gestantes ou
lactantes, vegetarianos estritos). Tal cuidado é
necessário, pois o consumo de doses excessivas
pode desequilibrar as relações entre os nutrientes,
além do potencial efeito tóxico, especialmente
quando em uso prolongado;
• a diabética gestante, ou a mulher que desenvolveu
o diabetes gestacional, deve receber suplementação
de ácido fólico para prevenção de
defeitos no feto da mesma maneira que a nãodiabética;
• o consumo diário de cálcio deve atender às recomendações,
especialmente para idosos com
diabetes, para prevenção de doença óssea. A
meta pode ser atingida com a utilização de três
porções de leite e derivados e porções diárias
de vegetais verde-escuros, além da exposição
rotineira à luz solar.





Este material foi elaborado pelos nutricionistas, membros do departamento


de Nutrição e Metabolismo da Sociedade Brasileira de Diabetes,

biênio 2006/2007, com intuito de informar o público leigo e profissionais
de saúde sobre Nutrição e Diabetes.
Gisele Rossi Goveia
Coordenadora do Departamento de Nutrição e Metabolismo da
Sociedade Brasileira de Diabetes - SBD

3 comentários:

Vanessa Monteiro disse...

Olá!

Muito obrigada pela visitinha,volte sempre tá?!

Adorei o seu cantinho e já estou seguindo!

Ótimas dicas!

Tenha um ótimo e light sábado!

Fique com Deus!

Beijosss

Jєss disse...

Queres saber oque eu peço á Deus?
apenas que dê saúde pra minha filha, meu marido, meu cachorro e a mim.
O resto eu corro atrás.

ArtRock disse...

Bom dia! Antes demais devo um pedido de desculpas pelo facto de só hoje vir responder ao seu comentário, mas na realidade só agora tive oportunidade de o fazer, uma vez que o meu computador esteve a dar-me problemas, pelo que esta tarefa se tornou impossível de ser realizada, com muita pena minha, já que gosto tanto disto... ahah
Bom, agora respondendo mais propriamente ao seu comentário: É muito bom saber que há pessoas que gostam do que nós fazemos, e quando nos dizem isso e estão a ser sinceras sabe maravilhosamente bem, e por isso eu vos agradeço tanto pela vossa opinião! Gosto igualmente quando me fazem criticas construtivas, pois tudo isto serve para a minha evolução, portanto vá passando por lá sempre que quiser para que eu fique mais feliz ahah
P.S.- É um perigo vir a este seu delicioso blog..!
Não restando mais nada para escrever, me despeço com todo o carinho possível,
Atentamente,

Telma Henriques

www.artrock-telma.blogspot.com

Ocorreu um erro neste gadget

QUINOA


PROPRIEDADES NUTRICIONAIS

A quinoa foi escolhida pela Nasa por ser uma ótima fonte de proteínas de

alto valor biológico e fornecer todos os aminoácidos essenciais necessários para a

formação de enzimas e de massa muscular e para todo o funcionamento orgânico.

Os aminoácidos essenciais não são produzidos pelo organismo humano e, por

isso, é preciso buscá-los na comida. As principais fontes são os alimentos de

origem animal. 'Como tem uma quantidade muito grande de proteínas e todos os

aminoácidos essenciais, além de ser rica em ferro e zinco, a quinoa é de especial

interesse para o vegetariano. Aquinoa ainda fornece magnésio, potássio,

manganês, vitaminas B1, B2, B3, D e E. Para completar, é um alimento rico em

fibras também bastante calórico 100 gramas correspondem a 450 calorias.

O amaranto possui grande potencial nutritivo. A semente possui cerca de

15% de proteínas, que tem uma qualidade biológica comparável à do leite e

superior a de outros vegetais, como a soja e o feijão. O amaranto também é rico

em fibras e pode ser utilizado como fonte de zinco, fósforo e cálcio, elemento

pouco encontrado em vegetais. Experiências realizadas com coelhos de

laboratório na FSP, que tiveram seu colesterol aumentado por uma dieta,

demonstraram a capacidade do amaranto em reduzir os níveis plasmáticos de

colesterol. O amaranto é um arbusto que pode atingir até 2 metros de altura, com

folhas grandes e panículas (tufos semelhantes às espigas) que concentram as

sementes. "As folhas podem ser cozidas como a couve". Para a produção de

farinha, é necessário extrair das sementes o óleo, que tem altos níveis de ácidos

graxos insaturados e também poderia ser usado na alimentação.

INDICAÇÕES:

Não há restrições para o consumo daquinoa e amaranto, mas o público-

alvo são os portadores de doença celíaca (intolerância a alimentos à base de trigo,

centeio, cevada e aveia), já que ela é totalmente isenta de glúten e ainda possui

outras características como proteína de qualidade, em quantidade superior à dos

cereais; amido com grânulos pequenos, que facilitam a produção de alimentos

congelados; fração de gorduras que auxiliam na redução do colesterol; vitaminas

(em especial a E) e minerais, como o cálcio, o magnésio, o manganês e o ferro em

quantidades que superam com vantagem os cereais. Assim, eles estarão

incorporando opções para diversificar os alimentos e aumentando as chances de

levar uma vida normal. Certamente, os que sofrem dessa enfermidade genética

passarão, ao longo do tempo, a perceber os demais benefícios de seu uso. Os

atletas devem ingeri-la antes e depois das provas, pois a quinoacontém ômega 3

e ômega 6, auxiliares no armazenamento de glicogênio nos músculos; as

crianças, como alternativa ao leite de vaca; e os idosos, porque se trata de um

alimento rico em lisina, aminoácido que ajuda a fortalecer a imunidade e amelhorar a memória.

 
Related Posts with Thumbnails