segunda-feira, 16 de julho de 2012

GANHO DE PESO

Depois dos 40 ANOS de idade.

A mudança nos níveis hormonais após a menopausa leva a alterações no formato do corpo.
A tendência a partir dessa fase da vida é ganhar volume no abdome e perder nos quadris e coxas. A proporção entre gordura corporal e massa muscular ou magra também se modifica, mesmo em mulheres que mantiveram o mesmo peso ao longo da vida. Enquanto uma jovem de 25 anos com 58 quilos, por exemplo, tem 27% de gordura na composição de seu peso, a mulher de 50 anos e mesmo peso terá 40% de gordura corporal.
Sem dúvida o estilo de vida e a dieta estão associados a essas alterações. Mulheres que levam vida sedentária e comem mais do que gastam de energia podem sentir mudanças no formato e proporção de gordura no corpo no início da década dos 40 anos, ou seja, bem antes da época da menopausa.
A prática de exercícios aeróbicos e de musculação é capaz de reverter essa tendência, além de melhorar muito a condição física das mulheres durante e após a menopausa. Atividades vigorosas como corrida, ginástica e levantamento de peso levam o músculo a exercer sobrecarga sobre o osso, o que estimula o processo de reconstituição óssea permanente de nosso esqueleto
É preciso ter cuidado com as refeições para não engordar na maturidade. O metabolismo fica mais lento já a partir dos 40 anos e as necessidades calóricas diminuem em média 2% ao ano.Mulheres entre 23 e 50 anos precisam de 1.600 a 2.400 calorias diárias (média de 2.000 calorias). Entre 51 e 76 anos suas necessidades caem para 1.400 a 2.000 calorias (média de 1.600 calorias). Um excesso diário de 200 calorias pode significar o aumento de 10kg no peso ao final de um ano.
A redução de 500 calorias no consumo diário pode levar a perda de cerca de 500 gramas de peso por semana. Mulheres que desejam perder peso, além de comer menos precisam queimar calorias por meio da atividade física e não limitar exageradamente a quantidade de calorias consumidas no dia-a-dia.
Dietas com menos de 1.200 calorias diárias dificilmente fornecem as quantidades adequadas dos nutrientes essenciais. Os regimes drasticamente hipocalóricos, com menos de 600 calorias por dia, são contra-indicados para mulheres em diade de pós menopausa. Podem provocar disfunção cardíaca e morte.
O correto é alimentar-se de maneira equilibrada, reduzindo a ingestão de calorias com refeições leves, pobres em gordura e açúcar e incorporando à rotina a prática de exercícios. Andar rápido (cerca de 5Km por hora) triplica o gasto energético em relação ao que é consumido em repouso. Nadar vigorosamente aumenta o gasto calórico quatro a cinco vezes e subir degraus ou andar de bicicleta (cerca de 18Km por hora) eleva-o em seis vezes.

O QUE COMER DIARIAMENTE
Frutas e Vegetais ricos em vitamina C: frutas cítricas, morango, melão e tomate. Folhas verde-escuras como brócolis, ervilha e couve, que fornecem cálcio e vitamina A . Frutas e vegetais amarelo-escuros como manga, cenoura e abóbora, que têm vitamina A .Vegetais crucíferos: repolho, brócolis, couve-flor e nabo, que contêm cálcio.
Quatro porções diárias.
  • Grãos e Cereais: de preferência grãos integrais porque os produtos refinados não contêm fribras e oligoelementos, que são fundamentais. Muitas vezes, as mulheres restringem os amiláceos (batata, milho, trigo) com o objetivo de cortar calorias mas esses alimentos são excelentes fontes de nutrientes e não contém muitas calorias, a menos que se lhes adicione gordura.
    Quatro porções.
  • Leite e Laticínios: ricos em cálcio. Leite desnatado ou pobre em gordura, iogurte e queijo branco são preferíveis aos produtos integrais. Os dois últimos devem ser consumidos em quantidades limitadas. As mulheres com intolerância à lactose que podem consumir iogurte.
    Duas a quatro porções.
  • Alimentos Protéicos: dar preferência a legumes, peixes, aves e carnes magras. Antes de preparar a carne retirar dela toda a gordura visível. O consumo da pele de aves não é recomendável por ser rica em gordura. Restringir ou evitar defumados e conservas.
    Duas porções.
  • Outros Alimentos: consumir gorduras em quantidades reduzidas, tais como manteiga, margarina, óleos, maioneses, cremes e frituras. A manteiga e a margarina possuem o mesmo teor de gordura e caloria: a diferança é que a margarina, produto vegetal, não contém colesterol.
  • Doces: açúcar é açúcar, independente de sua origem. Assim, o açúcar natural possui o mesmo valor calórico que o açúcar refinado. A diferença é que o açúcar natural é mais nutritivos do que o refinado.
Para evitar consumir gordura basta escolher os alimentos da tabela 2 e prepará-los sem adicionar manteiga, óleo ou margarina.
  • Algumas dicas:
1. Utilize panelas antiaderentes para cozinhar sem manteiga ou óleo.
2. Use vinho seco, suco de frutas e vegetais nas saladas em vez de manteiga e cremes. Substitua os cremes picantes e maionese por iogurte desnatado.
3. Use um escorredor para eliminar a gordura de carnes que foram assadas ou tostadas.
4. Prefira consumir amido e fibras fornecidas por frutas e vegetais frescos e grãos integrais.
5. Reduza gradativamente a quantidade de sal e açúcar dos alimentos cozidos, de modo a acostumar o paladar.
6. Aumente o uso de ervas, condimentos e temperos no preparo dos alimentos, que realçam o sabor quando eles contém pouco ou nenhum sal.
7. Leia os rótulos das embalagens que fornecem informações sobre a quantidade de açúcar e sal de seu conteúdo e prefira aquelas com teor menos desses dois elementos.

Matéria do site Menospausa.

Um comentário:

Mariana disse...

Eu sempre como saudável e faço muita atividade física, mas não consigo baixar de peso.
Também tenho problemas com a parte de alergia e imunologia que tenho que resolver.

Ocorreu um erro neste gadget

QUINOA


PROPRIEDADES NUTRICIONAIS

A quinoa foi escolhida pela Nasa por ser uma ótima fonte de proteínas de

alto valor biológico e fornecer todos os aminoácidos essenciais necessários para a

formação de enzimas e de massa muscular e para todo o funcionamento orgânico.

Os aminoácidos essenciais não são produzidos pelo organismo humano e, por

isso, é preciso buscá-los na comida. As principais fontes são os alimentos de

origem animal. 'Como tem uma quantidade muito grande de proteínas e todos os

aminoácidos essenciais, além de ser rica em ferro e zinco, a quinoa é de especial

interesse para o vegetariano. Aquinoa ainda fornece magnésio, potássio,

manganês, vitaminas B1, B2, B3, D e E. Para completar, é um alimento rico em

fibras também bastante calórico 100 gramas correspondem a 450 calorias.

O amaranto possui grande potencial nutritivo. A semente possui cerca de

15% de proteínas, que tem uma qualidade biológica comparável à do leite e

superior a de outros vegetais, como a soja e o feijão. O amaranto também é rico

em fibras e pode ser utilizado como fonte de zinco, fósforo e cálcio, elemento

pouco encontrado em vegetais. Experiências realizadas com coelhos de

laboratório na FSP, que tiveram seu colesterol aumentado por uma dieta,

demonstraram a capacidade do amaranto em reduzir os níveis plasmáticos de

colesterol. O amaranto é um arbusto que pode atingir até 2 metros de altura, com

folhas grandes e panículas (tufos semelhantes às espigas) que concentram as

sementes. "As folhas podem ser cozidas como a couve". Para a produção de

farinha, é necessário extrair das sementes o óleo, que tem altos níveis de ácidos

graxos insaturados e também poderia ser usado na alimentação.

INDICAÇÕES:

Não há restrições para o consumo daquinoa e amaranto, mas o público-

alvo são os portadores de doença celíaca (intolerância a alimentos à base de trigo,

centeio, cevada e aveia), já que ela é totalmente isenta de glúten e ainda possui

outras características como proteína de qualidade, em quantidade superior à dos

cereais; amido com grânulos pequenos, que facilitam a produção de alimentos

congelados; fração de gorduras que auxiliam na redução do colesterol; vitaminas

(em especial a E) e minerais, como o cálcio, o magnésio, o manganês e o ferro em

quantidades que superam com vantagem os cereais. Assim, eles estarão

incorporando opções para diversificar os alimentos e aumentando as chances de

levar uma vida normal. Certamente, os que sofrem dessa enfermidade genética

passarão, ao longo do tempo, a perceber os demais benefícios de seu uso. Os

atletas devem ingeri-la antes e depois das provas, pois a quinoacontém ômega 3

e ômega 6, auxiliares no armazenamento de glicogênio nos músculos; as

crianças, como alternativa ao leite de vaca; e os idosos, porque se trata de um

alimento rico em lisina, aminoácido que ajuda a fortalecer a imunidade e amelhorar a memória.

 
Related Posts with Thumbnails